Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


terça-feira, 8 de setembro de 2009

Tenho um coração....


Eu tenho um coração ainda em bom estado de conservação.
Um pouco desgastado, um pouco machucado devido às vezes nas quais entristeceu...
Mas ainda com muita potência, pelas tantas outras vezes em que foi imensamente feliz!
Eu tenho um coração que não é novo, nem de última geração....
É um coração à moda antiga, que sonha, vibra e acredita!
Este coração é um sonhador, que teima em acreditar nas pessoas...
É ingênuo, inocente e desarmado e por conta disso já meu muito trabalho.
Este meu coração na verdade guia-se única e exclusivamente pela emoção, nega-se a ser dirigido pela razão.
Ele é teimoso, tinhoso, inconseqüente... mas não endurece, não guarda ranço, não envelhece e mantém acessa a chama da paixão.
Meu coração, não cansa de procurar, insiste em perseguir sonhos e amores, possíveis ou não.
Ele tem vida própria, é indomável, não me obedece, não escuta o bom senso, transgride e reage a qualquer forma de repressão.
Já acreditou tanto e com tanta força...que ficou dias na U.T.I da minha alma quando se decepcionou.
Mas ele tem grande poder de regeneração...e quando dou por mim, lá está ele, serelepe feito criança travessa, achando de novo graça na vida, nas pessoas e no amor que ele tem certeza, um dia vai encontrar.
Este coração só pode ser de valia para alguém que goste de emoções fortes, que anseie mais, que busque tudo, que não se contente com pouco ou com quase nada.
Meu coração não quer saber que passou por esta vida sem causar fortes emoções, muito menos ele sonha em se esconder delas...ele as quer todas e com toda intensidade possível.
Ah esse danado já me fez sorrir até chorar de tanta satisfação, mas também já me fez chorar a ponto de sentir murchar meu rosto e secar o meu ser.
Não adianta este coração não tem juízo, não se prende a regras, não é previsível e nem perecível, é um caçador de aventuras, senhor das emoções.
Meu coração está ultrapassado, modelo antigo, nem sei se ainda se fabricam modelos assim, deve ser por isso que é tão complicado encontrar outro que se adeque a ele.
Este é meu coração, uma parte de mim, ou melhor, eu uma parte dele...
Posso dizer que graças a este meu coração eu já errei algumas vezes, mas sempre porque coloquei a emoção à frente da razão.
E assim vivemos os dois, às vezes em pé de guerra, mas convivemos em harmonia, isto porque ele sabe que quando chegamos a um beco sem saída, sou sempre eu a ceder às suas vontades!

By: Mari

2 comentários:

Rodrigo Marcilio disse...

Não é por acaso que por tanto tempo pensamos ser este o orgão das emoções... cupido ou eros... sempre apostos com suas flechas dilacerava com sua certeira pontaria... o coração dos amantes... desde tempos mitológicos que se perdem pela história da humanidade... é que este é o primeiro a sentir as intérperies da vida e do viver... pode não ser mais a sede da alma ou das emoções... mas é influenciado com toda certeza por elas... quantos corações combalidos ainda não batem de esperança e fé no amanhã que esta porvir... e quantos não se despedaçam na armagura do não vir... tudo o que nos resta é continuar a viver... enquanto o podemos... cupido o eterno enamorado... mediava as paixões... mas por certo só foi perceber da dor que provocava... quando se viu apaixonado por Psiquê... mas tal como o coração... sempre se viu a ganhar e perder o que conquistava... o que nos dá a lição de que nada é eterno... no sentido de permanecer inalterado... se o Deus do Amor sofreu dos males... do proprio amor que provoca nos homens... o que esperar de nós reles mortais... a não ser o de aceitarmos e nos resignarmos com tal situação... o melhor que podemos fazer é aprndermos com tais experiências e não nos deixarmos abater... amor e dor... são instrinsicamente ligados... pois sem um não reconhecemos o outro !!!

Namastê !

Andre Martin disse...

A cor da letra revela o coração ainda sangrando,
como você diz, saído da UTI...
Mas ainda um coracao que bate,
que pulsa não só o ânimo de viver,
mas também a esperança de um tempo melhor...
Que certamente vai chegar,
ele sobreviverá para presenciar isto.

A batida de um coração se ouve deliciosamente na introdução da versão da música "O que é, o que é?" cantada por Zizi Possi (composição de Gonzaguinha) : "Viver, e não ter a vergonha de ser feliz!"

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails