Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Queria ser um cisco perdido no universo...

Senti como se tivesse levado um soco na boca do estômago...
Faltou o ar, as pernas ficaram trêmulas, doeu muito...
Tudo porque eu vi o que não precisava ver...
E fui eu quem procurou, não foi ninguém que veio e me feriu...
Eu mesma fiz isto comigo.
Reabri ferida antiga, remexi sentimentos esquecidos...
Maltratei-me à toa, eu não precisava disso!
Mas como eu sempre ignoro a razão e só dou ouvidos a tal da dona emoção...
Fui lá e fucei onde não devia,
Pesquisei o que não precisava...
E encontrei o que não esperava...
Conclusão?
Quebrei a cara!
Cai do burro!
Me machuquei sem necessidade...
Agora fico eu a pensar o que é feito da tua vida?
Quem é esta pessoa que hoje vive tua vida?
Que desperta o teu sono, compartilha tua cama e recebe o teu sorriso?
Dizem que a maioria das coisas pelas quais passamos, sejam boas ou ruins, são todas responsabilidades única a exclusiva de cada um de nós...e isto é perfeito!
Hoje eu sou a única responsável por este rolo compressor que esmagou a minha alma.
Eu causei uma avalanche descontrolada de sentimentos e ressentimentos antigos.
Só eu e mais ninguém!
Não posso sequer culpar algo ou alguém, a não ser a imagem que vejo quando olho no espelho... Esta pessoa desorientada e complicada...que fazia muito tempo, não metia assim os pés pelas mãos!
Andei por outras estradas tão distantes de nós dois, que sinceramente pensava que nada mais poderia abalar a minha certeza de que não existia mais eu e você...
Eu sentia como se a nossa história fosse um daqueles filmes antigos, em sépia, mudo e sem legenda, que estivesse esquecido dentro de algum baú antigo, no fundo de algum porão...em alguma casa abandonada.
Eu seguia meu caminho sentindo-me supostamente “feliz”...
Mas não, eu precisava ir xeretar onde não tinha sido chamada e agir feito idiota...
Agora, aquela sensação de nó na garganta fica aqui...
Meu estômago dói, está enjoado...
Sinto uma angústia que me entontece...
E o pior é que eu sei que hoje vai ser muito difícil atravessar o resto dia assim....mas infelizmente outra opção não se apresenta...
Queria mesmo ser apenas um cisco de poeira perdido pelo universo...
O cisco não tem consciência, não tem sentimentos e não tem estômago.
E melhor, não tem inteligência e nem estupidez... Por isso não se maltrata!
Hoje, definitivamente... não agüento mais ficar dentro de mim!
By: Maristela Silva
(© Direitos Autorais Reservados)

Um comentário:

JOE ANT disse...

Seja simplesmente VOCÊ...
...
O que mudou, pode outra vez ser mudado.
Seja você, como era antes...
Simples, simplesmente,
como há muito tem sido,
natural, sem rodeios.
A vida é assim:
"viver, amar e aprender".
Aprendeu?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails