Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Just thinking...


E como saber o que é certo e o que é errado? O que é bom para mim pode não ser para você.
Como saber quando devemos continuar investindo ou não em determinada situação, ou em determiados sentimentos? Isso na verdade, a gente nunca sabe.
Tudo é muito subjetivo...e ao mesmo tempo tão certo... pelo menos para mim.
Eu fico me perguntando como equilibrar estas questões, que às vezes me tiram o sono.
Em algumas ocasiões eu vejo sinais demais, me empolgo muito, me deixo levar pelas emoções despertadas no extato momento em que as vivo...
Muita gente consegue racionalizar...e uma vez sentida a emoção, consegue se preservar dos seus efeitos instatâneos...para voltar a eles depois de alguma reflexão.
Eu não...simplesmente me entrego de corpo e alma àquilo que senti na hora exata em que experimentei a emoção. Se, e quando penso no assunto, já estou impregnada daquele sentimento e dificilmente revejo um sentimento sentido...Sei que isso parece redundante,mas não é, não no que aplica a mim.
Não consigo fazer esta separação...tipo, agora vou guardar isto que estou sentindo para avaliar mais tarde se vale ou não a pena sentir...
Não consigo ter esta frieza emocional...não isto definitivamente não funciona para mim.
Não me poupo de sentir, sejá lá o que for...seja bom, ou seja ruim...seja intenso ou seja efêmero...eu sinto com toda a intensidade do momento, sem me preocupar se encontro eco ou não...mas se encontro, bem...daí é que sinto mesmo.
Se não for para viver intensamente como se cada momento pudesse ser o último...então nada faz sentido!
Acho que refleti sobre isto, porque hoje me disseram assim:
- Mari, quando é que você vai aprender a disfarçar o que está sentindo?
Olhei para ele e disse:
- Disfarçar o que sinto? Não sei fazer isto não e penso que se não aprendi até agora...não aprendo mais.
Ao que ele me respondeu:
- Pois deveria...nem todo mundo merece esse tudo que você dá.


Isto me acompanhou o dia todo...eu diria até que me incomdou.
Por que na minha cabeça, não cabe disfarçar o que sinto, aliás eu penso que se as pessoas mostrassem de verdade o que sentem e quais são as suas verdadeiras intenções...muita dor e ressentimento poderiam ser evitados, assim como muita alegria, felicidade e amor poderiam ser experimentados.
A gente não pode ter medo de viver e de sentir tudo...com toda intensidade possível...
Bem...é assim que eu sinto!

By: Mari

11 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Daria para escrever um livro comentando essa tua postagem ...
Somos dotados de razão e emoção.
E, lamentavelmente, a partir do momento que demos nome a essas duas coisas, passamos a ve-las como se fossem separadas.
Juntas, garantem a sobrevivencia da espécie humana.
Separadas, são um desastre.
Funciona melhor quando a gente reflete sobre o que sente e deixa que as emoções permeem o raciocínio.
A questão do certo e do errado é muito simples ... se você se sente culpada, algo está errado.
Quanto a disfarçar o que sente, mais simples ainda ... certamente você disfarça boa parte do que sente, ou passaria o dia inteiro contando para os outros tudo o que sente durante o dia e não teria tempo para viver.
A questão é descobrir porque faz questão de expor algumas emoções em particular.
E a chave deve estar justamente nas reações que anda provocando com isso.

Yasmine Lemos disse...

Bom dia Mari, sei bem o que é iso,sou muito mais coração. Deixo ele falar e me guiar,sempre que o sono vai embora e insiste em me ensinar a razão.Seja feliz,felicidade é bom d+,sem culpas.
beijo

Heliomar Melo disse...

Adorei o post!

Acho que voce esta certtissima! Ser uma pessoa transparente, ajuda e muitas vezes nos atrapalha. Mas prefiro ser transparente e mostrar minhas emocoes.
Quebrar a cara por vive-las intensamente? Pelo menos vivemos aquele momento. Tem pessoas que perdem a oportunidade de viver os momentos bons. Nao perco nenhuma oportunidade. Vivo todos os momentos!
Nossa! Vou parar aqui.Acho que ja falei demais!

Parabens pelo maravilhoso post!Ja disse que adorei? Ta bom. Eu ja disse.rsrsr

Um abracao....

Mari disse...

Bom dia Flavio,

Bem, cada um tem uma maneira de ver as coisas...e principalmente de senti-las. Desta forma, respeito o seu ponto de vista, mas não concordo totalmente com as suas colocações.
A razão e a emoção caminham juntas sim, mas as nossas escolhas fazem com que uma e outra se alternem e apareçam mais ou menos em nossas vidas.
Quanto ao certo e errado, eles existem sim independente de culpa.
Em muitas das vezes em que fiquei em dúvida sobre o que seria certo ou errado, te garanto que não foi por culpa, foi por realmente não saber o que seria melhor naquele momento...e ai meu amigo é que entra a ponderação entre razão e emoção...e não a culpa.
Mais uma vez divergimos no que diz respeito a disfarçar o que se sente. Eu não estou falando aqui de todas as oscilações que humor e de sentimentos que nos acometem durante o dia (bom ou mal humor, alegria, raiva, etc.), estou falando de emoções que são intensificadas em determinadas situações... naturalmente quem me conhece bem sabe interpretar a forma como estou me sentindo. E isto não se passa só comigo, mas com todos nós!
Simplesmente eu não faço questão de expor esta ou aquela emoção...O caso é que o que eu sinto não disfarço, não para quem realmente me conhece e tem sensibilidade suficiente para percebê-las.
Um beijo

Mari disse...

Bom dia Yasmine...

Então amiga voce é que nem que eu rsrs
Bom dia e um beijo

Mari disse...

Oi Heliomar,
estava com saudade de você viu?
Pois é mue amigo...é bom mesmo quando a gente tem coragem para viver com intensaidade, indepentente de de vamos ou não quebrar a cara.
Tudo sempre vale a pena!
Beijos

Fatima disse...

Bom dia !

Que linda postagem ! Faz pensar, cria uma interrogação, abre uma janela para nosso interior, vasculha algumas da opções que fizemos, coloca na balança decisões que ainda estão por vir ...
Razão, emoção, ah!, luzes e sombras.
Queria que a minha felicidade fizesse feliz aos demais.
Bjs.
Fátima Guerra

Mari disse...

Oi Fátima bom dia!

É minha amiga...vivemos mesmos cercadas de contradições...ainda mais no campo dos sentimentos!
Mas geralmente quando estamos felizes quem nos cerca é atingido por esta felicidade sim!
Um beijo e obrigada!

Flavio Ferrari disse...

Não esperava que você concordasse mesmo ... Isso é bom. É discordando que teremos a chance de aprender alguma coisa...
Você falou em certo x errado, e por isso mencionei a culpa.
Eu vejo "certo" e "errado" como figuras de ficcção maniqueista.
Escolhas e decisões não são certas nem erradas, embora você possa classificá-las assim em função dos resultados.
Assim, não há como fazer o que é "certo" ... dá para escolher o que, potencialmente, será melhor para você, baseado na razão e nos sentimentos.
Quanto à questão dos sentimentos, foi só uma dica de psicanalizado ...
Bj

Mari disse...

Oi Flavio...
Perfeito meu amigo, assim a gente promove a discussão e o aprendizado.
O que é certo para mim pode não ser para você...depende do momento e de cada situação...é bem complicado mesmo.
Aliás, viver já complicado rs
Venha sempre, gosto de exercitar o diáolgo e uma boa discussão só acrescenta e melhora a gente né?
Beijo pra você!

manuel marques disse...

Sentimentos são a essência viva da alma.


Beijo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails