Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


domingo, 6 de junho de 2010

Eu e a saudade


Tem dias que eu fico meio assim, à deriva dos sentimentos antigos...
É uma saudade que brota de repente, quando menos espero...
Estas coisas me acontecem quando fico algum tempo sozinha comigo mesma.
Como hoje, tirei o dia para ouvir músicas antigas, reler algumas cartas e emails recebidos, assistir velhos e bons filmes românticos, enfim...eu mesma acabo acentuando estes sentimentos...
Creio que o sentimento de saudade ultimamente dorme e acorda comigo...
E hoje me vi com uma saudade enorme de um passado não muito distante, esta saudade que simplesmente insiste em ser dentro de mim.
Então se quer ser...que seja!
Não fujo dela, mesmo porque é muito mais forte do que eu...
Sendo assim, decidi me entregar...e sentir toda a saudade que eu puder, até esgotá-la de uma vez...
Porque a saudade é assim mesmo, ela chega, se instala e fica...se você luta contra ela...aí é que ela piora e te judia mesmo...
Agora se você cede aos seus encantos...e dá vazão ao sentimento, logo passa...ela se retira para o seu canto e lá permanece até a próxima vez que decidir voltar....
Bem, comigo é assim que funciona...eu e a saudade temos um pacto de conviência consentida.
Porque tem coisas que a gente esquece facilmente...mas tem aquelas que deixaram saudade e por isso a gente não esquece...e de vez em quando revive, nem que seja só na lembrança, nestes doces momentos de pura saudade!

By: Mari

23 comentários:

angela disse...

Que sejam doces esses momentos.
Beijos

Alma Serena disse...

Olá, Mari! Fora por uns dias, já estou desatualizada por aqui. Mas já me encantei com o assunto: saudade. Assim como você, quieta comigo mesma, dirigi hoje uns 500 km. E quer lugar melhor pro coração buscar uma saudade que uma boa e velha estrada?E não dá pra abortar esse sentimento, mesmo que a razão tente dar umas chicoteadas na gente. Mas vale a pena viver uma saudade. Nos faz sentir que valeu a pena, porque tudo foi muito real!! Bjos e boa semana pra você.

Mari disse...

Oi Angela,
Amém minha amiga!
Beijos

Mari disse...

Alma querida,

Estava mesmo sentindo sua falta minha amiga!
Que bom que estás de volta ao Cantinho.
É Alma...saudade boa faz bem pro coração, mesmo que o que falte não volte!
Um beijo e boa semana

Flavio Ferrari disse...

Demorou para aprender a me entregar a esse tipo de emoção.
Hoje, quando acontece, deixo rolar. Choro muito, vivo a tristeza e a saudade e, de alguma forma, elaboro mais um pouco.
Sigo ... mais leve.

Sil.. disse...

Mari queridaaaaaaaaaaa!
Se voce soubesse o quanto me encontrei nesse texto.
Eu sou saudosa e nostálgica por natureza.
E hj acredite: reli cartas (Eu guardo um monteee rs), ouvi musicas antigas, e vaguei no tempo.
E sou como voce disse nesse texto tão belo:

eu e a saudade temos um pacto de conviência consentida.


Voce é uma queridaaaaa!
Esse meu blog só me trouxe pessoas tão especiais como voce!
Uma semana linda linda pra ti!

Aninha disse...

Olá bela Mari...

Pois é...a cada dia uma surpresa...

Também concordo contigo... analizando bem, quanto mais a gente tenta lutar contra aquele sentimento de tristeza,de raiva ou de saudade, como foi o seu caso, mais voçe pensa nela...mais ela durará...e assim será uma luta diária de voçe contra voçe própria... nem vale a pena...
A saudade...as lembranças...os momentos estarão sempre ali armazenados, não há remédio para isso... a saudade machuca...
Mas, temos duas maneiras de senti-la: com alegria (pois a saudade existe porque existiram momentos bons), ou com tristeza (porque a saudade dói)...cabe a nós próprios decidirmos...

;)

Um grande beijo.
E um doce amanhecer amanhã!

Sonia Notaro disse...

Oi Amiga, chegou a hora da faxina mental, qdo joga pra fora tudo que se prende ao passado ,as vezes recente, a coisinhas, trequinhos, inhos de dor, que leva a tal da saudade ,remoer uma tristeza...,1, 2, 3 dias, não sabemos o tempo que se leva.Pronto: limpou, faxinou, lavou a alma ,se libertou de recordações, agora fique pronta para a vida porque somos feitos de puro amor.A questão Mari, e que vez ou outra o acúmulo de coisas fica lotado, vem nos cutucar, é porque chegou a hora de fazer uma nova faxina, pois já juntamos tantas outras coisas que precisam ser lavadas, jogadas fora e assim mais uma vez... a alma fica limpinha, perfumada, e passa um tempo curtindo a limpeza...Bjs meus,Iluminada!

Naty Araújo disse...

E quem é que não faz isso, heim?
Sentimentos antigos sempre são lembrados e ainda dá pra sentir o gosto dele.

Beijos, Mari.
Tenha uma semana linda

Ahhh e seu texto tá lindão mesmo.

Mari disse...

Pois é Flavio...
A gente precisa antes de mais nada se permitir sentir de fato as nossas emoções, sejam boas ou tristes...dar vazão ao choro e a tudo que estamos sentindo nos liberta meu querido e fatalmente seguimos mais leves e melhores.
Legar vc dizer isto aqui, assim de forma tão simples!
Um beijo

Mari disse...

Oi Sil, tudo bem querida?

Pois eu posso dizer o mesmo, este meu blog trouxe muita gente especial pra minha vida!

Saudade não mata ninguém, nos ajuda a continuar.

Beijos linda

Mari disse...

Oi Aninha, boa tarde.

Sim querida, a saudade também pode ser boa...
E quando escrevi estava me referindo a uma saudade destas que a gente daria tudo para reviver...de tão boa que é!

O meu amanhecer foi doce sim!
Beijos

Mari disse...

Pois sim Sonia,
Eu vivo a fazer faxinas pela alma amiga...mas tem umas coisinhas que não jogo fora, eu as guardo para lembrar de vez em quando aquele gosto gostoso de felicidade vivida!
Boa semana querida!
Beijos

Mari disse...

Naty...

Disse bem amiga, quem não tem telhado de vidro que jogue a primeira pedrinha rsrs...
Obrigada viu?
Boa semana
Um beijo

Belle disse...

Olha Mari, se todos se conhecessem suficientemente pra ter esse maduro pacto de convivência consentida com os próprios sentimentos, a vida certamente seria vivida de maneira mais intensa, menos assustadora e provavelmente menos cruel.. Lindo! Permaneça se permitindo recordar, chorar, refletir sem medo de que suas paredes caiam sobre a cabeça. Depois de um tempo a gente finalmente percebe que apesar de tudo, não cairão, no máximo, mudarão as cores, as posições, a textura. Isso torna a casa mais bela. Bjinho.

Tati Pastorello disse...

Eu tenho uma relação de amizade com a saudade. A chamo de nostalgia. E ela me ajuda a escrever, mas quando vem de férias e se instala me faz chorar muito. Choro de saudade de coisas que nem sei bem. Choro até de saudades de coisas que podiam ter sido e não foram... aí peço a ela que volte para casa (a dela) e venha apenas na próxima estação. Quando ela se demora, sinto saudade da saudade, por que me falta inspiração... Amei o que escreveu!
Beijos.

Mari disse...

Pois bem Belle,

Já faz um bom tempo que eu convivo em bem com tudo quanto sinto, sejam os sentimentos melhores ou os piores, pois todos convivemos com eles.
Não disfarço mais o que sinto e deve ser por isso que muita gente me diz que sou intensa demais. Mas só sei ser assim.
Não tenho mais medo de encarar as coisas, como você disse, mesmo que seja para cair tudo na minha cabeça, com certeza voltarei mais fortalecida...
E assim vou levando a vida amiga!
Um beijo

Mari disse...

É Tati, eu te entendo muitíssimo bem viu?
Também sou assim, às vezes tenho saudade do que não vivi rs...
Deve ser a imaginação fértil, a vontade férrea, o desejo de vida...enfim, acredito que mais ganhamos do que perdemos!
Que bom que você gostou!
Um beijo

Aninha disse...

grande verdade!!!
Se pudessemos parar no tempo...
ou pelo menos voltar no tempo onde aquela saudades nos leva...
Ahhh

sem mais comentarios

;)

bjos querida

Mari disse...

Ah Aninha...se eu pudesse, pelo menos por alguns minutos voltar no tempo!
Ahhhh deixa eu parar de sonhar rs
Um beijo linda

Terráqueo disse...

Você traduz tão bem esses sentimentos essencialmente humanos. Esse seu cantinho é um blog muito gostoso e sensível.

Terráqueo disse...

Você traduz tão bem esses sentimentos essencialmente humanos. Esse seu cantinho é um blog muito gostoso e sensível.

Mari disse...

Oi Geraldo,

Bom dia!
Fico contente que sinta desta forma, eu tento descrever tão somente o que eu sinto...e isto já bem complicado rs
Um beijo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails