Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O Trem da vida....

 

Um amigo falou-me de um livro que comparava a vida a uma viagem de trem.
Uma comparação extremamente interessante, quando bem interpretada.

Isso mesmo, a vida não passa de uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques alguns acidentes, surpresas agradáveis em alguns embarques e grandes tristezas em outros.
Quando nascemos, entramos nesse trem e nos deparamos com algumas pessoas que, julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco: nossos pais.
Infelizmente, isso não é verdade; em alguma estação eles descerão e nos deixarão órfãos de seu carinho, amizade e companhia insubstituível....mas isso não impede que, durante a viagem, pessoas interessantes e que virão a ser super especiais para nós, embarquem. Chegam nossos irmãos, amigos e amores maravilhosos.
Muitas pessoas tomam esse trem, apenas a passeio, outros encontrarão essa viagem somente tristezas, ainda outros circularão pelo trem, prontos a ajudar a quem precisa.
Muitos descem e deixam saudades eternas, outros tantos passam por ele de uma forma que, quando desocupam seu acento, ninguém nem sequer percebe.
Curioso é constatar que alguns passageiros, que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes dos nossos; portanto, somos obrigados a fazer esse trajeto separados deles, o que não impede, é claro, que durante a viagem, atravessemos, com grande dificuldade nosso vagão e cheguemos até eles....só que, infelizmente, jamais poderemos sentar ao seu lado, pois já terá alguém ocupando aquele lugar. Não importa, é assim a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas...porém, jamais, retornos.
Façamos essa viagem, então, da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando, em cada um deles, o que tiverem de melhor, lembrando, sempre, que, em algum momento do trajeto, eles poderão fraquejar e, provavelmente, precisaremos entender isso, porque nós também fraquejaremos muitas vezes e, com certeza, haverá alguém que nos entenderá.
O grande mistério, afinal, é que jamais saberemos em qual parada desceremos, muito menos nossos companheiros, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado.
Eu fico pensando, se, quando descer desse trem, sentirei saudades....acredito que sim, me separar de alguns amigos que fiz nele será, no mínimo dolorido deixar meus filhos continuarem a viagem sozinhos, com certeza será muito triste, mas me agarro na esperança que, em algum momento, estarei na estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram..... e o que vai me deixar feliz, será pensar que eu colaborei para que ela tenha crescido e se tornado valiosa.

Amigos, façamos com que a nossa estada, nesse trem, seja tranquila, que tenha valido à pena e que, quando chegar a hora de desembarcarmos, o nosso lugar vazio traga saudades e boas recordações para aqueles que prosseguirem.

(Texto da Net)

15 comentários:

Renata Rainho disse...

Mari adorei o texto!

Então Mari eu quero voltar a ajudar a ONG mas vcs não recebem meus e-mails do hotmail né.

Faz um favor, me passe os dados pra depósito pro meu e-mail do trampo renata@ascentbrand.com.br

agora eu trabalho aqui no abc. bjoka

Tati Pastorello disse...

Ai Mari, que texto liiiiiiiindo. Fiquei emocionada em lê-lo.
Uma ótima viagem para você. Que tenha a seu lado, no vagão que estiver, pessoas caras, queridas, que te amem verdadeiramente. Um beijo.

Majoli disse...

Lindo por demais minha querida Mari.
Também eu quero, quando descer desse trem, deixar saudades, boas recordações e bons exemplos.

Beijos com carinho.

Yasmine Lemos disse...

Oi Mari...texto pra lá de reflexivo. Assunto pouco pensado por ter que encarar uma realidade certa.
Que nossas viagens deixem rastros do bem e sementes boas.
um grande beijo

Graça Pereira disse...

Gostei do título e do texto...
É verdade, minha querida...estamos numa viagem que ninguem sabe o terminus...Uns descem mais cedo ...outros mais tarde! A estação de deesmbarque pode ser diferente...mas o aparato será sempre o mesmo...
Importa que nossa presença nessa viagem deixe marcas positivas e que nossos companheiros possam dizer:
"Valeu a pena estar contigo porque o mundo foi diferente depois de ti..."
Mil beijocas
Graça

angela disse...

Bonita comparação e o seu texto é muito suave e amoroso, gostoso de ler. Vamos tentar fazer essa viagem do melhor jeito possível.
beijos

manuel marques disse...

Fabuloso,Beijinho.

Lulú disse...

Que bonita sua história Mari, estou aqui hoje começando a segui-la.
Beijo.
Maria Luiza, (Lulú).

Sergio disse...

Sabias que és um dos meus amig@s? Venho agradecer-te por existires e seres um del@s...! Se vais ao meu blog saberás a que me refiro... e se queres levas contigo o regalo que, com muito carinho, está pensado para pessoas como tu...!
Mereces mais..., mas é o melhor que posso dar-te hoje... És um presente para mim... E é o que eu posso oferecer-te, hoje, a ti...

Um abraço.

Sergio

Cacá disse...

Oi, Mari! Eu gosto muitos dessas metáforas e analogias. Dão uma possibilidade de ampliar nossa potencialidade de aprender significados da nossa finita existência e tirar-lhe as coisas vãs, dar-lhe substância. Já ouviu uma música de Milton Nascimento sobre esse significado?: (um trecho)

"Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim, chegar e partir"

abração. Paz e bem.

gabyshiffer disse...

Olá Mari,
O texto é perfeito e concordo com vc.
Adorei
e já estou aqui te seguindo
Boa Sexta pra vc
Beijos

"Cada dia que amanhece assemelha-se a uma página em branco, na qual gravamos os nossos pensamentos, ações e atitudes. Na essência, cada dia é a preparação de nosso próprio amanhã."


Psicografia de Francisco C. Xavier.
Livro:- Indicações Do Caminho.

Isadora disse...

Mari, já e reli esses texto uma porção de vezes, e eu o adoro. Essa viagem contada dessa maneira é lindíssima.
Um beijo

Mari disse...

Oi meus amigos e amigas...

Eu tinha certeza que vocês iriam gostar. Quando li, senti que era perfeito para qualquer um de nós!

Beijos

Liz Dantas disse...

UMA DELICIA SEU BLOG AMIGA
BEIJOS

Cristina Danuta disse...

Lindo texto, Mari.

É para a gente pensar e refletir. Tantas coisas acontecem e tantas pessoas passam pelas nossas vidas. Existem pessoas que deixam um gostinho de saudade. Não que morreram, mas os caminhos se descruzaram. Acabamos seguindo trilhos diferentes. Quem sabe um dia eles voltem a se cruzar.

Dá pra pensar também no que teria acontecido se o nosso trem tivesse seguido por outros trilhos. Será que seríamos mais felizes? Estaríamos mais realizados? Mas vamos pensar que a estação final ainda está longe e há muito trilho a ser percorrido ainda, muitas paisagens a serem vistas e muitos passageiros para embarcar nele.

Bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails