Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Bom semana pra vocês!




Esta é uma bela história...para começar bem a semana!
Tem coisas que a gente lê e que toca, outras a gente lê, toca e precisa ser compartilhada!

"Sou mãe de três crianças (14, 12 e 3 anos) e recentemente terminei a minha faculdade. A última aula que assisti foi de sociologia...
O professor dava as aulas de uma maneira inspiradora, de uma maneira que eu gostaria que todos os seres humanos também pudessem ser. O último projeto do curso era simplesmente chamado "Sorrir"... A classe foi orientada a sair e sorrir para três estranhos e documentar suas reações... 
Sou uma pessoa bastante amigável e normalmente sorrio para todos e digo oi de qualquer forma. Então, achei que isto seria muito tranquilo para mim... Após o trabalho ser passado para nós, fui com meu marido e o mais novo de meus filhos numa manhã fria de Março ao McDonald's. Foi apenas uma maneira de passarmos um tempo agradável com o nosso filho... 
Estávamos esperando na fila para sermos atendidos, quando de repente todos a nosso redor começaram a ir para trás, e então o meu marido também fez o mesmo...
Não me movi um centímetro... Um sentimento arrebatador de pânico tomou conta de mim, e me virei para ver a razão pela qual todos se afastaram...
Quando me virei, senti um cheiro muito forte de uma pessoa que não toma banho há muitos dias, e lá estava na fila dois pobres sem-teto. 
Quando eu olhei ao pobre coitado, próximo a mim, ele estava "sorrindo"...
Seus olhos azuis estavam cheios da Luz de Deus, pois ele estava buscando apenas aceitação... Ele disse, Bom dia!, enquanto contava as poucas moedas que ele tinha amealhado...O segundo homem tremia suas mãos, e ficou atrás de seu amigo... Eu percebi que o segundo homem tinha problemas mentais e o senhor de olhos azuis era sua salvação.. 
Eu segurei minhas lágrimas, enquanto estava lá, parada, olhando para os dois... A jovem mulher no balcão perguntou-os o que eles queriam... 
Ele disse, "Café já está bom, por favor....", pois era tudo o que eles podiam comprar com as poucas moedas que possuiam... (Se eles quisessem apenas se sentar no restaurante para se esquentar naquela fria manhã de março, deveriam comprar algo. Ele apenas queria se esquentar)... 
Então eu realmente sucumbi àquele momento, quase abraçando o pequeno senhor de olhos azuis...
Foi aí que notei que todos os olhos no restaurante estavam sobre mim, julgando cada pequena ação minha...
Eu sorri e pedi à moça no balcão que me desse mais duas refeições de café da manhã em uma bandeja separada...
Então, olhei em volta e vi a mesa em que os dois homens se sentaram para descansar... Coloquei a bandeja na mesa e coloquei minha mão sobre a mão do senhor de olhos azuis... Ele olhou para mim, com lágrimas nos olhos e me disse, "Obrigado!!" 
Eu me inclinei, acariciei sua mão e disse "Não fui eu quem fiz isto por você, Deus está aqui trabalhando através de mim para dar a você esperança!!" 

14 comentários:

Cacá - José Cláudio disse...

Oi, Mari! Olhe que coincidência: em agosto do ano passado estive uma semana em São Paulo e entrei tarde da noite num Mac Donalds na Pça da República. Na fila apareceu um mendingo ou morador de rua e todos tiveram esta atitude de se afastarem. A menina do balcão foi logo chamando o segurança, mas um casal que lá estava tomou a frente e disse que o rapaz estava com eles. O moço ainda ficou bravo, dizendo: por acaso aqui tem que se possuir boa aparência para ser atendido? Pagou um lanche para ele e ainda mandou que se sentasse em sua mesa (do casal) para comerem juntos. E a reação dos presentes foi parecida. Ficou todo mundo olhando com olhos de julgadores para o casal.

Ótima semana para você . Paz e bem.

Flavio Ferrari disse...

Linda história, até a penultima linha ...
A última linha é interpretativa e depende da crença de cada um ...

Anônimo disse...

Si, probabilmente lo e

Anônimo disse...

molto intiresno, grazie

manuel marques disse...

Texto muito bonito,obrigada pela partilha.

Beijo.

Majoli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Terráqueo disse...

Entrei no teu cantinho esperando sorrir, como sempre quando te visito, mas o texto era tão lindo que me comovi com essa hitória. Bjs.

Mari disse...

Pois é Cacá,
Quantas e quantas vezes não presenciamos situações parecidas?
Vivi algo parecido no final do ano dentro de um shopping, quando um homem acompanhado de um senhor bem mais velho,se aproximou de mim e de minha irmã. Eles eram realmente muito, mas muito simples mesmo e as pessoas os olhavam desconfiadas. Chegou para nós e explicou que seu pai havia tido alta de um hospital próximo dali e que eles precisam voltar para Jundiai mas não tinham dinheiro nem mesmo para comer. O senhor mais velho que era o pai dele não tinha cor de tão abatido que estava, ele quis nos mostrar exames e receitas, mas não quisemos ver, pois estava na cara que ele não mentia. Nós os ajudamos com algum dinheiro e com algumas lágrimas também, porque simplesmente era dolorido olhar a fragilidade daquele velho senhor.
E dai a gente se pergunta por que tanta desconfiança e tamanha falta de humanidade?
É meu amigo...coisas para gente pensar!

Beijos

Mari disse...

Sim Flavio, concordo com você.
Mas postei a mensagem exatamente como recebi...cada um fará sua avaliação de acordo com aquilo que acredita!

Beijos

Mari disse...

Oi Manuel,

Obrigada você meu querido, pelo carinho e presença!

Beijos

Mari disse...

Majoli querida,

Confesso a você que eu também chorei lendo este texto...
Minha querida, Deus sempre manda um anjo que nos ajuda na hora em que mais precisamos. Você teve o seu...
E desejo de coração que esta fase passe logo. Siga firme minha amiga!

Beijo e carinho

Mari disse...

Oi Terraqueo,

Que bom que você gostou...a idéia é esta mesma...tocar corações e levar á reflexão!

Um grande beijo

M. Sueli Gallacci disse...

Oi Mari!

Uma amiga me mandou esse texto por email. Fiquei muito emocionada quando li.

Precisamos fazer tão pouco pelos nossos semelhantes e as vezes, nem esse pouco, fazemos. Já presenciei muitas vezes essa cena. Triste...

Um bjo enorme!

JOE ANT disse...

E à medida que os tempos passam, e as crises se instalam, talvez venhamos a presenciar muitas mais situações tristes como essa.
...
Haja esperança que possa haver melhoras.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails