Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


sábado, 27 de agosto de 2011

Mini conto...



Ela percebeu que em algum ponto do caminho tinha se perdido de si mesma.
Tentava em vão lembrar-se onde, quando, por que?!!!
Buscava em vão respostas a estes e tantos outros questionamentos, que ultimamente tiravam-lhe o sono, roubavam-lhe a paz e fazia com que se sentisse perdida e triste.
Onde andava sua alegria?
Onde estava aquela ânsia de viver intensamente?
Por que sentia-se assim, tão desamparada e com tanta saudade de como costumava ser?
O peito pesava-lhe a alma dorida e cansada.
Doia-lhe lembrar de como era antes...
Mas mesmo assim...lembrava-se com saudade de quanto via cores e música em tudo!
E pensava se um dia voltaria a ser como antes...
E assim, aquecendo esta esperança em seu coração, apagou a luz e deixou-se adormecer...
Quem sabe em seus sonhos encontraria as respostas de que tanto precisava!


By: Mari

3 comentários:

Andre Martin disse...

A borboleta na foto me lembrou outro conto, que tem a ver com realidade x sonhos...

O conto do sábio chinês, que uma noite sonhou que era uma borboleta, sonhando que era gente...
Então, quando acordou, já não sabia mais se ele era um homem quem tinha sonhado que era borboleta, ou se era o sonho da borboleta ainda dormindo...

hehehe, é, confuso... Quem sabe Confúcio explica?

Se serve de consolo pra moça do conto, acho que somos todos uns perdidos!!! rs

A filosofia diz que as perguntas são mais importantes que as respostas!

Beijos.

Cacá - José Cláudio disse...

DESEJO - Victor Hugo
Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar".

Um abraço e ótimo dia, Mari.

Marly Bastos disse...

acho que essa é a nossa história Mari. Em algum momento da vida damos conta de que nos perdemos... Nos perdemos na lida cotidiana, nos sonhos que nao foram possíveis, no casamento que nao deu certo, nos filhos que passaram a ser nosso viver, no curso que sonhamos a vida toda e nao pudemos concluí-lo... Perdemos o rumo e prumo da nossa vida e nem nos damos conta na hora.
Beijokas doces

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails