Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Conto "Estou triste e preciso ir embora..."

Quando penso em você, fecho os olhos de saudade...
Temos tido muita coisa, menos a felicidade!
Ela pensou e pensou e depois parou de súbito de chorar.
E então começou a escrever a sua carta de despedida...


"Estou triste por demais e preciso ir embora.
Preciso ir embora e preciso ir muito rápido.
Sinto que seu eu ficar um pouco mais aqui...
Não vou resistir e vou morrer...
É difícil saber pra onde ir assim...sozinha e tão de repente.
Mas do que adianta ficar aqui?
Também sozinha desde que não estou mais no seu abraço?
Estive tanto tempo com você aqui, dentro de mim...
Que agora não sei o que fazer, como agir...ou pra onde ir.
O riso me deixou, partiu sem nada dizer;
Também partiu aquela alegria que sentia quando você estava aqui.
Me diz por favor, você levou-os consigo?
Já não sei mais onde procurar aquela sensação tão boa de te pertencer...
É...estou triste sim...muito triste!
Claro, eu disfarço com risos ensaiados e olhares disfarçados.
Percebo que estou conseguindo enganar as pessoas e isto é bom...
Assim não me perguntam o porquê da minha tristeza.
Não saberia explicar de uma forma que entendessem...
Que a minha tristeza é tão somente não saber estar alegre fora do seu abraço.
Preciso ir embora, está ficando cada vez mais tarde...
Acredito que devo partir para longe de mim...
Preciso deixar esta mulher que só sabe amar quando está no seu abraço...
Ela está se tornando seca de sentimentos...pois não acredita que eles possam existir...fora do seu abraço.
Estou triste por dentro e por fora; no corpo e na alma; na superfície e nas profundezas de mim...
Não sei como se faz para viver fora do seu abraço...
Até hoje não tinha precisado pensar em fazê-lo.
Mas agora sou forçada...porque até então...
Eu jamais tinha me sentido morrendo um pouquinho a cada dia...como sinto agora.
E por maior que seja o meu amor...não quero morrer de tristeza, nem tão pouco sentir-me assim, feito uma terra deserta por dentro...uma terra seca onde nenhum sentimento floresce...
Por isto estou pegando a tristeza e indo embora.
Não sei quando volto a viver alegre dentro de mim outra vez...
Pode ser que demore...ou não, mas um dia eu volto a saber viver sem estar no seu abraço.
Tomara encontre eu a força necessária para enfim partir!"

(By: Mari)


2 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Mari, o difícil é iniciar o novo objetivo de vida. Forçar um pouco novos conhecimentos e emoções. Depois a própria natureza nossa vai tirando alegria das coisas essenciais e abastece o nosso reservatório para encontrar uma maior felicidade.
Muito lindo este conto.
Beijos.
Manoel.

Zélia Cunha disse...

Mari, cabe tanta coisa em um abraço...
Lindo texto! Nos acostumamos no aconchego de um abraço e quando nos falta, nos falta também o chão, resta nos só o vazio e a solidão.
:D
Beijos

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails