Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


domingo, 1 de janeiro de 2012

Hoje é um novo dia....




Mas olhe para todos ao seu redor e veja o que temos feito de nós e a isso considerado vitória nossa de cada dia. Não temos amado, acima de todas as coisas. Não temos aceito o que não se entende porque não queremos passar por tolos. Temos amontoado coisas e seguranças por não nos termos um ao outro. Não temos nenhuma alegria que já não tenha sido catalogada. Temos construído catedrais, e ficado do lado de fora pois as catedrais que nós mesmos construímos, tememos que sejam armadilhas. Não nos temos entregue a nós mesmos, pois isso seria o começo de uma vida larga e nós a tememos. Temos evitado cair de joelhos diante do primeiro de nós que por amor diga: tens medo. Temos procurado nos salvar mas sem usar a palavra salvação para não nos envergonharmos de ser inocentes. Não temos usado a palavra amor.
Temos mantido em segredo a nossa morte para tornar nossa vida possível. Temos disfarçado com falso amor a nossa indiferença, sabendo que nossa indiferença é angústia disfarçada. Temos disfarçado com o pequeno medo o grande medo maior e por isso nunca falamos no que realmente importa.
Falar no que realmente importa é considerado uma gafe. Não temos adorado por termos a
sensata mesquinhez de nos lembrarmos a tempo dos falsos deuses. Não temos sido puros
e ingênuos para não rirmos de nós mesmos e para que no fim do dia possamos dizer "pelo
menos não fui tolo" e assim não ficarmos perplexos antes de apagar a luz. Temos sorrido
em público do que não sorriríamos quando ficássemos sozinhos. Temos chamado de
fraqueza a nossa candura. Temo-nos temido um ao outro, acima de tudo. E a tudo isso
consideramos a vitória nossa de cada dia.

(Clarice Lispector em Uma Aprendizagem ou o livro dos Prazeres)

-----***----

Que não seja necessária a chegada de um novo ano, para promovermos as mudanças diante do que  temos feito...ou do que tenhamos deixado de fazer.
Todos os dias o relógio marca meia noite, nos dando um novo dia e com ele a oportunidade de um novo começo e da felicidade que somos merecedores.
Às vezes só o que precisamos fazer...é abandonar velhos hábitos para adquirir novos sonhos.
Deixar o passado no passado pode ser difícil, mas não é impossível quando desejamos realmente recomeçar!

(By: Mari)

4 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amiga Mari, fã nº 01 da grande Lispector.
Um abração. Tenhas um ótimo ano.

manuel marques disse...

Um ano novo cheio de paz ,amor e muitas felicidades.

Beijo.

She disse...

Adorei!
Beijo, beijoooo
She

Fênix disse...

Bela publicação!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails