Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Hoje é sexta-feira...para descontrair!




Foi encontrado no bolso de um cadáver, quando se preparava para a autópsia, a seguinte carta:
Excelentíssimo Senhor Delegado do Ministério Público: Suicidei-me!... Não culpe ninguém pela minha sorte. Deixei esta vida porque um dia a mais que vivesse acabaria por morrer louco.
Eu explico Senhor Doutor: Tive a desdita de me casar com uma viúva, a qual tinha uma filha; se soubesse isto jamais teria casado. Meu pai, para maior desgraça era viúvo e quis a fatalidade de que ele se enamorasse e se casasse com a filha da minha mulher.
Resultou daí que a minha mulher se tornou sogra do meu pai. A minha enteada ficou a ser minha mãe e o meu pai ao mesmo tempo meu genro.
Após algum tempo, a minha filha pôs no mundo uma criança que veio a ser meu irmão, porém neto da minha mulher que fiquei a ser avô do meu irmão. Com o decorrer do tempo, a minha mulher pôs também no mundo um menino que como irmão da minha mãe, era cunhado do meu pai e tio do meu filho, passando a minha mulher a ser nora da própria filha.
Eu, Senhor Delegado, fiquei a ser pai da minha mãe, tornando-me irmão dos meus filhos, a minha mulher ficou a ser minha avó já que é mãe da minha mãe, assim acabei sendo avô de mim mesmo.
Portanto, antes que a coisa se complicasse mais resolvi acabar com tudo de uma vez.

(AD)

6 comentários:

Cacá disse...

Bom dia, Mari: o texto abaixo eu publiquei já faz um tempinho . a rimeira parte é uma parte de um programa que ouvid a Roseli Sayão, na rádio Band News. Do segundo parágrafo para frente já um caso meu memso. proponho para você devendar esta charada. hahahah! Abração. Paz e bem.

CHARADA FAMILIAR

Conversa de uma mãe com seu filho de quatro anos, reproduzida em programa sobre as famílias novas e complexas, apesar de não mais problemáticas do que as consideradas normais.

- Mãe, o Julinho é seu filho?
- Não, ele é filho do primeiro casamento do seu pai.
- E o Marcelo é seu filho?
- Ele é filho do segundo casamento do papai.
- A Belinha é filha do papai também?
- Não, ela é filha da mamãe, do primeiro casamento.
- (???) Mãe, eu sou seu filho?

Eu, além de me identificar não resisto e proponho que decifrem a minha charada familiar. Minha família também é diferente, mas não dá mais trabalho por isso. Tentem:

Minha filha mais velha tem três irmãos, sendo que só dois deles são irmãos entre si. A minha filha mais nova tem uma irmã mais velha e não é irmã dos outros dois que são irmãos da mais velha. Ou seja, tenho duas filhas, sendo que a primeira tem três irmãos e a segunda tem uma irmã.

Misturação - Ana Karla disse...

kkkkkkkkkk
Que confusão!
Coitado do difunto

Bom dia Mari!

Xeros

Lata de Luxo disse...

Querida mari.
A conivencia e a indceencia que temos que esperar.Falou amiga.Grande beijio.zenaide storino.

Mafalda S. disse...

Xiii... coitado. Mas, mesmo assim: suicídio? Nunca!

Beijinhos e bom fim-de-semana

M. Sueli Gallacci disse...

kkkkkkkkkkkkkk affeeeeeee, não entendi nada, que rolo!!!

Pois é, isso está ficando cada vez mais moderno... é o fim dos tempos, como diz minha mãe rsrsrs.

Bjokasssssss

Mari disse...

Ah meus queridos...

Porque a gente merece descontrair um pouco!

Beijos

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails