Seja Bem Vindo!

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar...Ambos precisaremos, um do outro. A gente só conhece bem as coisas que cativou, por isso tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas!

(Antoine de Saint-Exupéry).


domingo, 27 de março de 2011

Sossega, coração e adormeça

Encontrei hoje um poema do querido Pessoa que ainda não conhecia.
Como tudo que ele escreve, consegue de alguma forma...tocar a alma da gente!
Este...que posto agora, tocou especialmente a minha.



"Sossega, coracao! Não desesperes!
Talvez um dia, para além dos dias,
Encontres o que queres porque o queres.
Então, livre de falsas nostalgias,
Atingirás a perfeição de seres.
Mas pobre sonho o que só quer não tê-lo!
Pobre esperança a de existir somente!
Como quem passa a mão pelo cabelo
E em si mesmo se sente diferente,
Como faz mal ao sonho o concebê-lo!
Sossega, coração, contudo! Dorme!
O sossego não quer razão nem causa.
Quer só a noite plácida e enorme.
A grande, universal, solene pausa
Antes que tudo em tudo se transforme.

Sossega, coração e adormeça!"

Fernando Pessoa

3 comentários:

Misturação - Ana Karla disse...

Realmente Mari, muito bonito.
Também não conhecia.
Boa semana
Xeros

Tatiane Garcia disse...

Mari querida!!! eu amoooo este poema do Pessoa...na época da facul eu vivia rabiscando ele em todos os lugares!!! (coisas de quem ama as Letras...)
foi uma ótima escolha para por aqui!!!

JOE ANT disse...

No meu desassossego...
Nesta altura do campeonato...
Pedir para o meu coração sossegar,
até mesmo adormecer, ficar à espera que algo se transforme, assim de um dia para o outro, é simplesmente...
...
esperar que alguém faça o meu trabalho de casa.
...
Vou-me deixar de mandranice e tornar-me um ser mais aplicado.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails